sábado, 30 de dezembro de 2006

Eu (o blog) quero para 2007...

Ter a escrever aqui um gajo com:

- o mundo e qualidade de escrita deste;
- a facilidade de gozar com a actualidade da maneira que estes o fazem;
- a capacidade de criar um blog tão original como este;
- o humor genial (ainda que a espaços infelizmente longos) deste,
- e a escrita fácil destes.

(O título para este post também poderia ser: "Forma de homenagear os blogs que não dispenso", mas isso seria muito menos engraçado e eloquente, para além de que o blog andava a pedir a palavra há uns tempos)

Tanta malta com internet e tinha de me sair este merdas. (Cala-te blog)

sexta-feira, 29 de dezembro de 2006

Mulheres

Eu (às 9 da noite): Tou sem fome prefiro jantar daqui a bocado que lanchei imenso quando cheguei a casa (às 8) e fartei-me de comer bolachas, pode ser?
Minha mãe: Está certo.

Minha mãe (às 10): Então não janta?
Eu: Não, ainda tou cheio...não tenho fome.
Minha mãe: Sem fome a esta hora?Está apaixonado?

A quantidade de falácias presente neste raciocínio seria digna do Guinness, não fosse a autora do sexo feminino.

Just a thought

Enquanto acabava de organizar a discografia de Steel Pulse (18 CDs, em que mais de metade vinha sem o nome da música, e/ou nome da banda, e/ou nome do CD), descobri porque é que a paciência realmente é uma virtude.

Na maioria dos casos em que é preciso pô-la à prova, em que ela é necessária, a recompensa que recebemos com o resultado final é muito mais uma recompensa interior do que exterior. Gabarmo-nos do feito, qual galifão (palavra genial), é igual ao litro. Acabei de organizar a discografia, se gritar ao mundo que o fiz, who cares?E se acabar uma paciência de cartas, who cares?

Conclusion: A paciência é uma virtude. Porquê? Porque quem a tem não age para agradar a terceiros, age para agradar a si próprio, ergo a pessoa paciente é aquela que não se preocupa com o que pensam dela, ou pelo menos preocupa-se mais com o que pensa dela própria!

Got it?

quarta-feira, 27 de dezembro de 2006

Vodafone Bezanas


A propósito deste post, tive uma ideia para um pacote da Vodafone, o Vodafone Bezanas. Intrigados?Curiosos?Com um formigueiro nos pés?

Passo a explicar: temos a tendência, quando embriagados, para enviar mensagens que nunca mandaríamos sóbrios, muitas vezes para pessoas a quem nunca mandaríamos uma mensagem, period. Infelizmente, as mesmas implicam invariavelmente um arrependimento no dia seguinte e até uma vontade de voltar atrás no tempo nos casos mais dramáticos!

E se eu dissesse que tenho a solução para os vossos problemas? Imaginemos que a Vodafone lançava um serviço, o Vodafone Bezanas. A troco de uma pequena verba por mês, todas as mensagens enviadas a partir da uma da manhã (a hora seria configurável consoante o grau de garotice do cliente) seriam sujeitas a um controlo prévio por um grupo de pessoas dotadas de um bom senso fora do normal, bem como de uma lista com todos os engates do cliente, devidamente catalogados (badalhoca, ex-namorada, engate, etc.). Quando necessário, as mensagens seriam devolvidas para o cliente, juntamente com um comentário dissuasor. Por exemplo:

"Se vieres sair prometo que te levo ao céu, estou à tua espera...és a mulher da minha vida"
Resposta do Bezanas: Caro Cliente, para além da mensagem ser um tanto ao quanto ridícula, a Liliana está referenciada como sua ex-namorada de há 5 anos atrás, deseja mesmo enviar a mensagem?Atenciosamente, Vodafone Bezanas.

E a cereja no topo do bolo?Quando há umas que percebem e dizem "só me dizes qualquer coisa quando estás bêbado", podemos passar a responder "achas que sim??confirmei ao Bezanas!"

De nada, Vodafone, de nada...

segunda-feira, 25 de dezembro de 2006

Posso dar um pulo?

É que eu estou tão contente por ir agora para Coimbra passar a noite de 25 e não poder ir depois para a noite com os meus amigos, que tive de exteriorizar esta alegria imensa que me enche por dentro.

Um bom natal para todos os que lêem este blog. Peço imensa desculpa se estavam à espera de um post com mães natais óptimas, ou com uma carta a gozar com o Pai Natal, a única coisa que posso oferecer é um espectacular presunto pata negra, foie gras e um bolo de chocolate do outro mundo a uns quantos amigos.

Casa Júdice - Retraças de Qualidade

domingo, 24 de dezembro de 2006

Natal em jeito de relato

E COMEÇOU O NATAL. O PONTAPÉ DE SAÍDA É DADO PELA VÉSPERA!

sábado, 23 de dezembro de 2006

Mental Note

Alguém diz:
qd me mandste hoje a noite a msg tava a dormir já
zé diz:
na boa lol
zé pensa:
qual msg?

Mental note: Must turn cellphone OFF when drunk.

sexta-feira, 22 de dezembro de 2006

Fútbol?No comprendo...

Depois do jogo de ontem tive a certeza, o problema do Kikin não é a adaptação ao futebol europeu, o problema dele é a adaptação ao futebol.

(Cada vez menos) Private joke

Estudar nunca fez mal a ninguém...muito menos o platonismo!

quarta-feira, 20 de dezembro de 2006

Mistérios inexplicáveis

Ando há 3 anos e meio na minha Faculdade, instituição essa que tem um porteiro/segurança que dá pelo nome de Xôr João (nem João, nem Senhor João, nem Joquinhas, simplesmente Xôr João). Pessoa afável, já a entrar na 3ª idade, padece de uma pequena dificuldade ao nível da vista que o obriga a usar óculos, profissional exemplar. Durante 3 anos e meio, sempre que os nossos olhares se cruzavam, cumprimentava-o com um educado "Olá Xôr João" (nem João, nem Senhor João, nem Joquinhas, simplesmente Xôr João), obtendo como resposta outro "Olá".

Até aqui tudo normal?Sim, claro. Até esta segunda-feira, dia em que, ao chegar à Faculdade para iniciar a minha época de estudo para os exames, sou abordado pelo Xôr João, que se dirige a mim nestes termos: "OH JÚÚÚDICE". Nem "Olá Júdice", nem "Olá Zé", simplesmente "OH JÚÚÚDICE".

Hoje, exactamente a mesma coisa. Porquê? Continuo sem saber, e se o conformismo não foi inventado para situações como esta, então não sei para que foi. Consequentemente, conformo-me.

terça-feira, 19 de dezembro de 2006

Quando bebo dá nisto...

Uns há que vão ao grego. Outros, dá-lhes para comer gajas feias. Há ainda aqueles que se tornam violentos e querem andar à porrada com tudo o que lhes aparece à frente. Já eu, preferi fazer uma contusão no menisco e um traumatismo no ligamento interno do joelho. Espectacular.

segunda-feira, 18 de dezembro de 2006

Considerações barcelonenses I

Sometimes the best way to move is to stand still.


Não sou grande adepto de frases pseudo-filosóficas. Na verdade, detesto-as. Frases do género "não chores porque acabou, sorri porque aconteceu", "às vezes é preciso dar um passo atrás para dar dois em frente", ou a minha preferida, "a vida são dois dias, e acordas ao fim da tarde" (é algo deste género). Porquê, então, dedicar um post a uma?

Porque quando uma delas se aplica perfeitamente a uma situação pela qual passámos, rendemo-nos, ainda que por momentos, e dedicamos-lhe um post. Mas atenção, isto não é uma frase pseudo-filosófica qualquer, é uma frase pseudo-filosófica criada por yours truly. Este devia, aliás, ser um dos objectivos da vida de um gajo: plantar uma árvore, escrever um livro, ter um filho, e inventar uma frase pseudo-filosófica. Já só me faltam dois.

terça-feira, 12 de dezembro de 2006

Can you beat that?

De ontem para hoje dormi 18 horas, mais concretamente das 6 da tarde ao meio dia...sinto-me um verdadeiro sleeping stud, duríssimo no que ao descanso diz respeito, incansável quando se trata de fechar a pestana!

Totto postini, ou breves considerações centro-europeias

- A Polónia é o país que já visitei até hoje com a maior taxa de matrimoniabilidade (Nº de gajas com quem o cidadão médio se casaria/Nº de gajas total x 100) a nível mundial. Vi tantas gordas na Polónia como no caminho do aeroporto de Lisboa até casa.

- Em Ostrava não nos pagam para beber, mas quase. Quem tiver um amigo Erasmus lá, sobretudo um anfitrião ao nível de João Matos, que proporciona todas as condições para uma grande estadia, deve-se mandar imediatamente para lá.

- Nos transportes públicos destes dois países, as únicas pessoas que falam são...os portugueses. Aliás, um sinal de que estava a voltar para Portugal foi exactamente o autocarro que apanhámos da porta de embarque para o avião no aeroporto de Malpensa em Milão, e porquê?Tudo aos berros, e um enorme cheiro ao farnel trazido de casa para a viagem.

- Sou um gajo espectacular a arranjar computadores. Demoro o meu tempo, é verdade, mas o serviço é impecável, qual Dr. House.

- A dupla maravilha está de boa saúde e recomenda-se.

- O meu ideal de justiça distorce-se brutalmente quando sobre o efeito do alcóol.

- Chegou-se à conclusão que o Brinho é odiado um pouco por toda a Europa. Curiosos?Novidades brevemente...

Dirk Kuyt (é assim que se diz obrigado por aquelas terras) Matos, Kiko, Galiano, Gonçalo, António, Oswaldius e João!

segunda-feira, 11 de dezembro de 2006

It's out...


and it's good. (Back to work)

domingo, 10 de dezembro de 2006

Serendipity




Já não chegava seres perfeita, ainda tens esse sotaque britânico e mordes o lábio sempre que ficas à rasca?Casa-te comigo sff.

sábado, 9 de dezembro de 2006

Back to reality

Claro que o único avião, em 4 possíveis, onde se bateram palmas, foi o que aterrou em Lisboa.

quarta-feira, 29 de novembro de 2006

Vamos à música...que eu depois vou-me embora

Antes de dar de abalada para terras centro-europeias, mais precisamente República Checa e Polónia, deixo umas músicas para se entreterem. Mais uma vez levam com vários géneros musicais, do lounge ao hip-hop, passando pelo electro-jazz e acabando no reggae(tou a ficar bom nisto de espetar estilos musicais, do género acid-indie-funkie-pop-electronic-rap).

Começamos pelos CDs: em primeiro lugar temos o novo dos Groundation, Upon the Bridge. Não sou especialista em Groundation, adoro sem no entanto os ter acompanhado desde o início, mas pessoalmente, e tendo em conta o que já ouvi nos outros CDs que tenho deles, a grande diferença neste álbum passa pela voz do vocalista Harrison Stafford, muito mais presente e de uma forma muito mais intensa, que faz do Upon the Bridge um CD espectacular; passando para o rap/hip-hop, Lupe Fiasco, decorem este nome. Lançou recentemente o seu primeiro CD, Food and Liquor, onde canta juntamente com nomes consagrados (Kanye West, Jill Scott, etc.), e é um must-have.

Quanto a músicas soltas, um remix feito por Gotan Project que descobri num CD cá em casa. A música chama-se Whatever Lola Wants, e é de Sara Vaughan. Um som brutal, e curiosamente tem dado na Oxigénio, rádio onde descobri a próxima música, Koop Island Blues de seu nome, cantada pelos...Koop (se gostarem, aproveitem e vão vê-los ao Casino de Lisboa no dia 18 de Dezembro que é grátes). Faz-me lembrar uma das músicas do Kill Bill. Por fim, uma música de Louie Austen, que salvo erro anda aí num anúncio da Peugeot, e que se chama Hoping. É mais mexido o som, mas ouve-se bem. Ia postando isto sem pôr talvez a música que mais tenho ouvido ultimamente: Datarock-Fa-Fa-Fa, um espectáculo!

Resumindo: Groundation - Upon The Bridge (CD); Lupe Fiasco - Food and Liquor (CD); Gotan Project - Whatever Lola Wants (Sara Vaughan); Koop - Koop Island Blues; Louie Austen - Hoping; Datarock - Fa-Fa-Fa

terça-feira, 28 de novembro de 2006

Olha o Ronny....aonde?!?

Entrou a 222 km/h. RECORD FEZ OS CÁLCULOS À BOMBA DE RONNY

O Pentágono anunciou, há momentos, que vai passar a usar o pé do Ronny para lançar os próximos foguetes em missões espaciais. O Record lançou também outros dados curiosos:

- ao que parece, num dos sprints realizados pelo jogador brasileiro durante jogo, a velocidade atingida foi de 142 km/h;
- para seguir os passes que Ronny efectuou durante o jogo, a Sport TV recorreu a imagens via satélite;
- na sequência de um alívio efectuado pelo lateral sportinguista para as bancadas, 350 pessoas morreram instantaneamente. Causa da morte? O barulho emitido pelo movimento do esférico, intolerável para o ouvido humano;
- o famoso pontapé do duo dourado, efectuado por Tsubasa e Misaki, foi baseado no pontapé de Ronny. Originalmente seria apenas desferido por Tsubasa, mas os criadores da série chegaram à conclusão que o remate era tão potente que seriam precisos dois jogadores para proporcionar o mesmo efeito.

segunda-feira, 27 de novembro de 2006

Agradecimentos

Eu gostava de saber o que é que são Deros, para o gajo não ter.

L. Kadosh


Muito obrigado por isto. E pelos agregados Simas. E por teres dado uma cor nova ao tapete Chico. E pelas performances fora de série a nível de mímica Acas e Kiko. No fundo, muito obrigado pelo fim de semana espectacular Massado (e já agora, porque o prometi e não o fiz na devida altura, à casa Amado pelo Verão duríssimo).

And just when you thought it couldn't get any better, estes meninos em baixo encarregaram-se de fechar o fim de semana com chave de ouro. Já durante o concerto, fecharam-se outras coisas.

sexta-feira, 24 de novembro de 2006

Underwater world

Cidades inundadas, muros destruídos que abalroam carros, trânsito infernal...mas choveu assim tanto fds?A mim cheira-me a fita.

quinta-feira, 23 de novembro de 2006

O Napoleão é que sabe


Espectacular performance deste gato Napoleão. Qualquer semelhança entre este anúncio e um diálogo entre um homem e uma mulher (não) é pura coincidência. A única coisa que realmente interessa são as "saquetas", o resto é puro bla bla bla...bravo Napoleão, fizeste-me passar a odiar ligeiramente menos a tua espécie insecrável.

Aposto que se o gajo falasse, diria algo do género "Cala-te e dá-me mas é a saqueta, oh p*$#!"

quarta-feira, 22 de novembro de 2006

Exposições?Isso é pra rotos!


Até pode ser verdade, mas esta é boa e vale a pena, independentemente da panasquice que envolve. Trata-se da exposição do pintor português do início do século XX Amadeo de Souza-Cardoso, que para além de obras do pintor, inclui outras de vários artistas, quer por ligações pessoais, quer por semelhanças de estilo. Morreu com 29 anos e deixou uma obra de uma dimensão espectacular, quer em termos de quantidade, quer de qualidade.

Para o Grupo de Forcados de Figueiró dos Vinhos, assíduos leitores deste blog...há desenhos com gajas nuas pah!E depois vai tudo dar um mergulho no lago da Gulbenkian, que é pra enrijecer os ossos!Rijos!E a seguir vamos beber um tintol ali na cafetaria!

Mais uma vez...

Muito obrigado Cid. Não só pelo que cantaste, mas por quem trouxeste...

terça-feira, 21 de novembro de 2006

E o Casino pareceu pequeno


Fui ontem ao Casino de Lisboa para assistir ao concerto de José Cid. Sentado numa mesa apenas a alguns metros do palco, tive o prazer de presenciar uma performance verdadeiramente galáctica. Este Monstro encheu o Casino de cima a baixo, pondo centenas de pessoas- sem que sequer tivesse que puxar por elas- a cantar as suas baladas, que se sucediam umas às outras a um ritmo desenfreado. 20 anos, Cai neve em Nova York, Ontem hoje e amanhã, Adieu, Auf Wiedersehen, Goodbye, Na cabana junto à praia, El Rei D. Sebastião...indescritível.

E para o fim?Meus caros, para o fim a redenção em forma de música, obtida após insistentes pedidos da minha pessoa (que foram surpreendentemente seguidos poucos segundos depois por todo o casino, que pedia "FAVAS" em uníssono), com o Cid a cantar o refrão do Favas com Chouriço por duas vezes. Estava cansado, não se lembrava da balada ("Não percebo porque é que gostam tanto disto", dizia ele), enganou-se no início por duas vezes. Mas que importa?

Genial...obrigado José Cid (e Tonico), muito obrigado.

Há sons que valem mais que mil imagens



Quem foi ultimamente ao cinema deve ter visto isto. Na sala onde fui ver o filme, pessoas começaram a bater palmas no fim do anúncio, e eu tive vontade fazer o mesmo...não sei se era por já tar um bocado com os copos.

segunda-feira, 20 de novembro de 2006

Dúvida existencial

(4 pessoas sentadas à volta de uma mesa...um baralho com uma carta no fim, cruzada, virada ao contrário...4 cartas são tiradas uma a uma do dito baralho e expostas na dita mesa...tudo à porrada para ficar com a carta que quer, enquanto se fingem truques e sinais, até que...)

CAMES!Ou será GAMES?QUEIMES?KEIMES?

sábado, 18 de novembro de 2006

Serenity prayer

We ask God to grant us the serenity to accept the things we cannot change, the courage to change the things we can, and the wisdom to know the difference.


No mínimo, genial. Descobri isto algures num episódio de Desperate Housewives, série que nem costumo ver. Depois de ter sido rezada a tal oração, a actriz remata em grande: "The good news for those who utter these words is that God will hear you and answer your prayer. The bad news is that sometimes...the answer is no."

sexta-feira, 17 de novembro de 2006

Considerações de pré-época

Se isto é realmente a pré-época, e se ela tá a ter lugar na Suiça, vocês que assistem aos jogos (leia-se lêem os posts) são das duas, uma: ou emigrantes portugueses radicados no país dos chocolates; ou malta que saiu mais cedo da praia, tal é o amor que têm ao clube (leia-se blog), para vir ver a bola.

Corolários desta teoria? Em primeiro lugar, assumir esta postura faz de mim um José Veiga, ou um LFV(decisão difícil); infelizmente, faz com que tenha de aturar gajos com nomes como por exemplo Jonathan Castro, Jacques da Silva, ou ainda Pierre Simões a invadirem-me o relvado (blog) sempre que o jogo acaba (faço um post)!

quarta-feira, 15 de novembro de 2006

Pré-época

À semelhança do que se passa no futebol, os primeiros tempos desta rentrée serão caracterizados por elevadas cargas físicas (leia-se vários posts), que têm como objectivo repôr os indíces alcançados (leia-se uma escrita sagaz, erudita mas simultaneamente terra-a-terra) na época anterior (leia-se antes de eu ficar sem net).

Dito isto, preparem-se para aqueles jogos sensaborões em Agosto, cujo único atractivo é ver as contratações do plantel. Como tal, prometo lançar algumas caras novas às feras, bem como cumprir com algumas promessas antigas, assim que vir que a máquina está de novo oleada. Até lá, vão ter de levar com um estágio em Nyon a jogar com equipas amadoras.

terça-feira, 14 de novembro de 2006

Guess who's back, in this white night

Fartei-me de esperar, cancelei o contrato com a ONI, voltei para a Netcabo, e finalmente estou de volta ao activo.

Não quero deixar de salientar algo que me parece bastante preocupante: uma das coisas de que tinha saudades era de sacar músicas. Mal vi que tinha internet, fui directo ao emule para actualizar a minha playlist. Qual foi a primeira música que saquei, sendo que os meus dedos pareciam controlados por um qualquer espírito musical maquiavélico que me impediu de pensar duas vezes?O CD novo dos Groundation, diriam vocês? Estão redondamente enganados. A felizarda foi a balada Nesta Noite Branca, entoada pelas referências da música nacional Anjos e Susana.

E o pior? Não, o pior não é tar a ver o Jura e ser obrigado a suportar os troncos da Ana Brito e Cunha...o grave é que tou a fazer isso enquanto cantarolo "Nesta noite branca, sou um boneco de neve...".

domingo, 22 de outubro de 2006

fONIx

Está para breve o regresso do blog, e é já esta sexta, data em que a ONI concordou activar a internet em minha casa. Ainda ameacei que ia mudar para Netcabo, mas eles riram-se da minha tentativa desesperada de lhes meter medo.

terça-feira, 12 de setembro de 2006

A little treat



Para compensar a ausência de posts trago-vos este filme caseiro, realizado aquando da deslocação a Barcelona este ano. Quer este homem pegar touros se nem uma travagem brusca a 140km/h acompanhada de uns gritos, tudo isto enquanto dorme, aguenta?

quarta-feira, 30 de agosto de 2006

La resistencia

A razão para a inexistência de posts é simples: consciencializei-me há uns dias que o regresso ao blog é sinal que o Verão está a acabar e que não me encontro bêbado e/ou ressacado o dia inteiro.

Resultado?Vieram-me as lágrimas, por isso dêem-me um tempo para eu me habituar, a rentrée tá para breve, e há muitos agradecimentos a fazer por este Verão (AZUL) do caraças.

quinta-feira, 10 de agosto de 2006

Gervaisium



Ricky Gervais, criador da série britânica The Office, um tipo algo tosco, mas genial. Vim passar dois dias a Lisboa e achei que não ia ter nada que fazer e ia finalmente escrever sobre uns assuntos que andam nos drafts há algum tempo, como por exemplo: "mais formas de detectar badalhocas", "o que é que leva alguém a fazer 20 km marcha", ou ainda "o que é que leva alguém a comprar uma roulotte e a enfiar-se num parque de campismo". O estado letárgico em que me encontro não me permitiu dedicar tempo ao blog, e agora recebi guia de marcha outra vez.

Por respeito a um ou outro funcionário público que não encontra nada mais interessante que este blog e que por causa da crise não pode ir passar a sua semana de férias para Quarteira e teve de ficar a trabalhar na repartição das finanças, deixo este vídeo.

Vemo-nos em São Martinho, copos, bola e amigos, que é o que se quer, e é o que se tem tido neste Verão, haverá melhor?

N.D.R.: É capaz de estar mal escrita a palavra roulotte, mas a palavra repugna-me tanto que nem a quero saber escrever. Essa e columbófilo.

sexta-feira, 28 de julho de 2006

De passagem por Lisboa

A ausência de posts deve-se obviamente às férias e ao desbravamento constante. Amanhã zarpo outra vez, aproveitem o verão azul.

Parabuenos lagartos

Contratação interessante por parte do Sporting. Precisavam de um avançado, e vão buscar o suplente do Pauleta, Carlos Bueno. Os golos estão garantidos.

terça-feira, 11 de julho de 2006

Se fosse o Flamengo era pênautxi


CABELEIRA: Alô Berenice. É o seguinte, vou te mandar uma letra invocada agora. Pô mina...já viu falar em amor à primeira vista?
BERENICE: Malandro não ama, malandro só sente desejo.
CABELEIRA: Assim não dá prá conversar...
BERENICE: Malandro não conversa, malandro desenrola uma idéia.
CABELEIRA: Pô! Tudo que eu falo, tu mete a foice!
BERENICE: Malandro não fala, malandro manda uma letra!
CABELEIRA: Vou parar de gastar meu português contigo que tá foda.
BERENICE: Malandro não para, malandro dá um tempo.
CABELEIRA: Falar de amor contigo é barra pesada.


Vi ontem pela primeira vez, por mais estranho que pareça, o Cidade de Deus. Genial, não só em termos de realização, mas também de argumento, retrato social, banda sonora, fotografia, and the list goes on. E depois tem diálogos como este, em que as falas encaixam umas nas outras, em que era impossível arranjar uma resposta melhor. Fernando Meirelles tem umas coisas de Tarantino, e quando assim é o filme arrisca-se a ficar para a história, como este Cidade de Deus. Gostos não se discutem, mas é um bocado difícil não gostar deste filme!

segunda-feira, 10 de julho de 2006

Diálogo (imaginário?)



Materazzi: Que desodorizante é que puseste?Cheiras um bocado mal
Zidane (quando segura na camisola): Tu querias era um equipamento destes, parece que vestiste um preservativo, achas que isso se apresenta?
Materazzi: Pah a tua mulher ontem não se queixou, foi a noite inteira tou aqui que nem aguento.
Zidane (a correr): Sabes que com essas bocas não vais lá...
Materazzi: Olha que tu a jogar assim também não, tás mais fácil de marcar que o Pauleta
Zidane: Isso é que eu não te admito. (cabeçada)

quarta-feira, 5 de julho de 2006

Imitation is the most sincere form of flattery

domingo, 2 de julho de 2006

Esclarecimento

Fui acusado de ter plagiado, neste post, uma fala dos Friends, ao que contrapus que não senhor, quem inventou aquela frase fui eu. Fui alvo de chacota, linxaram-me na praça pública, por isso cabe-me pôr os pontos nos i's, mostrando a frase em que esses energúmenos estavam a pensar:

"Hey, I'm not one to kiss and tell... but I'm also not one to have sex and shut up"

Tomem lá e embrulhem, pumba!

sexta-feira, 30 de junho de 2006

E eu pergunto...


Para quando um filme porno português com esta menina? É que mais badalhoca e com mais ar de pega que ela não há. Reparem nas poses, nas vestimentas, nos olhares, encaixa no perfil. Vão à área de fotografias e tirem as vossas próprias conclusões.

É que se formos a ver bem, até o nome da menina é sugestivo. Assim de repente vêm-me à cabeça títulos para o filme como "Ele Malhou-a Horas A Fio", "Malhar é com Ela", ou simplesmente "Badalhoca Tuga Desvairada I" (a sequela seria uma consequência natural, daí o I).

E o melhor de tudo, sabem o que é? É que a Ana Malhoa desperta aquele lado maternal que todos os homens gostam de ver numa mulher, ou já não se lembram dela no Buéréré, rodeada de criancinhas, a ensiná-las com muito amor as 5 vogais?Realmente ela tinha razão, "sabes que começou no ahhhh..."

Fui ali parar por obra e graça do Barreto. Amigos destes não são para todos!

Para os que me conhecem...

I'm not the kiss and tell type of guy, I'm more the flirt and tell one.

quinta-feira, 29 de junho de 2006

Morangos com silicone

É bom ver que a maioria das actrizes decidiu ir à faca de forma a se apresentar em condições para esta saison de Férias de Verão, agrada-me bastante esta faceta tridimensional dos Morangos...

segunda-feira, 26 de junho de 2006

Bancada central

Ou o melhor programa de rádio de todos os tempos. O gosto por este programa foi-me passado pelo meu irmão Miguel, que sempre que andava de carro à noite tinha o rádio invariavelmente na TSF, ao som do mítico Fernando Correia.

O formato do programa é bastante simples. Fernando Correia lança um tema, e as pessoas ligam para lá a participar, com uma moderação (mínima) do apresentador. De vez em quando vão lá alguns convidados especiais, mas não é costume.

Até aqui tudo normal, o que faz este programa único é o teor das afirmações de quem liga para lá. Vale tudo, até o Fernando Correia os mandar calar. Insultam dirigentes, revelam histórias macabras do futebol português que só eles e mais uns quantos sabem, chegando os habitués (que los hay, los hay) a trocar galhardetes entre eles, caso do Costa Pereira ou do José Barros, entre outros que não me lembro.

Da próxima vez que estiverem no carro, entre as 20:15 e as 22:00, lembrem-se e ponham na TSF, GARANTO-VOS que não vão querer outra coisa, é sublime!

Lembrei-me de postar isto porque ontem, a voltar para casa a seguir ao jogo, estava a dar a edição especial do programa (por causa do horário de Portugal), e dei por mim a pensar o mau amigo que eu era por ainda só ter partilhado esta maravilha com dois ou três amigos meus...

Portugal-Holanda (pérolas)


Maniche ofereceu a todos os telespectadores que acompanharam o Portugal-Holanda duas pérolas, três se contarmos com o golo, e que passo a citar, para os mais desatentos:

"O mais importante foi que no final conquistámos os 3 pontos"

"E este golo deu muita força ao Maniche para o Maniche enfrentar os quartos-de-final"


Maniche, por tudo, obrigado.

sábado, 24 de junho de 2006

Brazilian girls + uns sons


Não são brazilian, mas sim new yorkers, só há uma girl, mas são bons. Para quem gosta de música electrónica com uns pozinhos de Bossa Nova, trip-hop, jazz, dance, e reggae (sou terrível a definir géneros musicais, tive de me socorrer da amazon, há lá sempre alguém nas reviews que espeta com 10 estilos musicais no mesmo CD).

Já que não ponho músicas aqui há muito tempo, aproveito e deixo umas quantas:

Marcelinho da Lua (vem cá na sexta à festa da Nova) feat. Seu Jorge - Cotidiano
Marcelinho da Lua - Tranquilo (Feat. Black Alien & Bi Ribeiro)
Mo Horizons - Hit The Road Jack - Pe Na Estrada
Zeca Pagodinho - Zeca,Cadê Você? (feat. P.E.Jorge Aragão,Marcelo D2 e Seu Jorge) (esta é para ti Bota hehe)
Beef - Last Rudy Standing (bom CD de reggae)
Audio Bullys - I go to your house
Skye - Love Show (Tom Novys Club Mix)
Tom Novy ft. Lima - Take It
Shapeshifters (os gajos do Lola's Theme) - Incredible
Sublime - Doin' Time (Uptown Dub)
Jamie Foxx - Unpredictable (feat. Ludacris)
Jason Mraz - I'm Yours (Checo, palavra de Deusa é lei hehe)
DJ Patife - Sandália de Prata (feat. Marisa Monte)

Tem um bocado para todos os gostos, não tanto quanto eu gostaria mas é que não tenho um gosto eclético, só o meu amigo Tunis Sacavém é que consegue gostar do melhor de todo o tipo de músicas, eu limito-me a andar na peugada dele e a apanhar os restos da sua imensa cultura musical, mas sirvam-se à vontade, o que não gostarem...apaguem.

quinta-feira, 22 de junho de 2006

Mais que um blog

É um blogui porra, e é do Ronaldinho Gaúcho. Podem vê-lo aqui, vale a pena!

quarta-feira, 21 de junho de 2006

Angola fora do mundial...

E a QUERCUS agradece. Conseguem imaginar o cheiro a catinga que se iria acumular durante o dia de hoje, com graves consequências para o panorama ambiental lisboeta, caso Angola se qualificasse para os oitavos de final?

Já que tou numa de frases


"I used to go missing a lot.Miss Canada, Miss United Kingdom, Miss World..."

"I spent a lot of money on booze, birds and fast cars. The rest I just squandered."

"In 1969 I gave up women and alcohol and it was the worst 20 minutes of my life."

George Best

terça-feira, 20 de junho de 2006

Grande frase

"Que não seja imortal, posto que é chama

Mas que seja infinito enquanto dure."

Vinicius de Moraes

sábado, 17 de junho de 2006

Questão geneológica

O grande problema dos comunistas é que o que os move não é a luta pela igualdade, mas sim a inveja.

Aliás, quase que aposto que os pais de Karl Marx eram portugueses oriundos das Beiras que decidiram emigrar para Trier, quais emigrantes pioneiros chamados para ajudar a reerguer a Alemanha acabada de sair das invasões napoleónicas, e que como bons pais que eram decidiram incutir no petiz Karlos o mais típico sentimento português depois da saudade, a inveja.

sexta-feira, 16 de junho de 2006

A vida é feita de opções

"Nos EUA foi realizado um estudo que leva boas notícias para muitos homens. Há indícios de que um ingrediente encontrado na cerveja ajude a prevenir o câncer de próstata. O problema é que, para aproveitar os benefícios da descoberta, é necessário beber 17 cervejas por dia.(...)Atkins alertou que 17 cervejas por dia podem levar ao alcoolismo e à cirrose."

Fonte: Blog da Malta


Vou adoptar este método, até porque o mérito da decisão é inquestionável. Beber 17 jolas por dia e não ter cancro da próstata é ouro sobre azul. Arrisco-me a morrer de alcoolismo ou de cirrose?De alguma coisa temos de morrer, mas pelo menos tenho a certeza de que de cancro da próstata não é!

Se bem que é um risco controlado...e porquê?Fácil. Se beber jola o que é que me acontece? Fico com barriga. Tendo em conta que o que não mata engorda, estou tranquilo.

quarta-feira, 14 de junho de 2006

O que eu ando a estudar...


(Cavaleiros orçamentais). Giro...desculpem, eu disse giro? Fascinante...mente chato.

sábado, 10 de junho de 2006

Escarumba

Akwá: «Não assinava um papel a garantir o empate»

O problema é não saberes escrever?Não seja por isso, não precisas de ter vergonha, assinas de cruz que é na boa...

quinta-feira, 8 de junho de 2006

Previsões...

Porque é que a Alemanha vai ganhar o Mundial? Simples, porque ninguém tá à espera que o faça, e porque tem um país inteiro a apoiar a selecção(no outro dia eram 42.000 pessoas num treino), pese embora a campanha desastrada que fizeram na fase de preparação. Digo já isto para ficarem avisados e se irem preparando, para além de que tem muito mais graça vir dizer a seguir à final um "eu não disse?", em vez de um "eu já sabia". A final vai ser contra a Espanha, e vai tar uma chuvinha molha-parvos. Por acaso não sei se vai, mas tava-me a apetecer dizer chuvinha molha-parvos.

Isto de fazer previsões é um bocado viciante. Porquê? Porque o risco não existe. Manda-se um nome baseado numa fezada, se acertarmos somos os maiores e ganhamos um crédito enorme de "medium", enquanto que se passar completamente ao lado calamo-nos e ninguém se lembra da baboseira que dissemos.

E depois há aquelas alturas em que sentimos realmente que temos uma Alcinda Lameiras, ou até uma Maya dentro de nós. Como há um ano, no Estádio da Luz, Benfica-Sporting, livre descaído para o lado esquerdo do ataque do benfica, minuto 83, viro-me para o Galiano e digo: "O Luisão vai marcar de cabeça e vamos ser campeões.". E isso, meus amigos, fica para a vida, e posso passar a vida inteira a prever golos ao Galiano e não acertar nenhum, que ele e eu sabemos que sou uma autoridade na área da futurologia.

quarta-feira, 7 de junho de 2006

Sobre o "Código DE da Vinci" (grande Martunis)

Jornalista português afirma que existe uma mensagem sobre Portugal dentro do livro de Dan Brown.

Indo directo ao assunto, mas que merda é esta? Passo a citar uma parte da notícia:

"Para ele é evidente: Portugal é o Porto do Graal. E Dan Brown "revela-o". Tudo começou quando Frederico reparou que a palavra Portugal aparece uma só vez no livro: quando o avião do bispo Aringarosa sobrevoa a costa portuguesa. Esta referência acontece no capítulo 5, sendo a viagem novamente referida no 10 e terminando no 22. Ao somar os três números, Frederico Carvalho vai parar ao capítulo 37 que, explica, é aquele em que aparece pela primeira vez referido o Santo Graal."

Para mim é evidente: este gajo é estúpido. Estava boquiaberto com tanta estupidez, e mais, como é que alguém achou que era boa ideia publicar um livro sobre isto. Só então é que, ao continuar a ler o texto, percebi que este Frederico tinha razão para sofrer de sérias perturbações mentais, ou não fosse ele um "jornalista, que trabalhou no 24 Horas e no Tal e Qual" (sem querer entrar pela contradição existente na frase, que junta os termos jornalista e 24 Horas/Tal e Qual).

Já que tá na moda dizer merda, aproveito para dizer que este blog tem os códigos de lançamento de ogivas nucleares que se encontram numa base ultra-hiper-mega secreta em São Marcos da Ataboeira. Ou pelo menos eu acho que tem, porque o 1º post do ano faz referência ao Alentejo, e se forem ver a segunda letra de....epah esqueçam, não tenho paciência para isto, tás a vontade para descobrir Frederico!

segunda-feira, 5 de junho de 2006

Rock in Rio II

Antes de mais, gostava de agradecer a quem me fez chegar 45 min atrasado a Marcelo D2.

Momento da noite: "São dois cachiurros para o jorge jorge", ou um gajo de semblante carregado a olhar para três gajos às gargalhadas no meio de uma multidão durante pelo menos meia hora à pala de cachiurros. Que fartote de riso meus amigos...

E claro, viva a bandeira do Brasil, ou o que está por trás dela!

sábado, 3 de junho de 2006

Tough game of poker



Da próxima vez que jogarmos poker, só jogo se for assim malta...e já sei quem é que vai ganhar!

SMS

anónimo 1:
"bora hje po tamariz?creio que vai ser uma noite porreirinha..."

anónimo 2:
"pois mas hje há 2manydjs aqui no rock in rio!!"

anónimo 1:
"e no tamariz há 2manyc*nas, grande som!"

quinta-feira, 1 de junho de 2006

Onde é que tás com a mão?


Ainda dizem que os jogadores de futebol nao se conseguem exprimir bem...

quarta-feira, 31 de maio de 2006

Been there, seen that...



É bom ver que o Galiano serve de inspiração a pessoas um pouco por todo o mundo, mas no caso destes gajos, ainda vos falta muito para chegar aos calcanhares do meu querido amigo.

São muitos anos a virar frangos, entre outras coisas!

Melhor saída de sempre


Sandy: So what are you doing now?
Kirsten: You...

terça-feira, 30 de maio de 2006

Factos futebolísticos ou coisas em que só eu (?) reparo

Facto 1: Sempre que, nas vésperas de um jogo, aparece uma notícia sobre uma equipa nos desportivos com uma fotografia ilustrativa da boa disposição no treino (normalmente aparece um grupo de jogadores a simular aquela formação antes do início dos jogos), essa equipa invariavelmente perde o jogo.

Facto 2: Sempre que um jogador de uma equipa faz anos no dia de um jogo, essa equipa perde. O mesmo já não se aplica quando só faz anos à meia-noite, ou fez na véspera.

(Tenho postado menos que o costume por estar, entre outras coisas, a estudar para os exames e viciado em OC, e muita sorte tem quem lê este blog em que isso aconteça, é que senão habilitavam-se a um fartote de piadas jurídicas, deveras engraçadas acreditem)

sábado, 27 de maio de 2006

Ontem...

Dizque tive ontem no Rock in Rio. Dizque tava giro. E dizque cantei parte do "A Pouco e Pouco" do José Cid no autocarro a voltar para casa. E dizque mal vi a tromba dos que tavam lá no palco a cantar. E dizque fiquei 12 horas sem comer, mas não sem beber, queria lá eu ficar desidratado.

E dizque tá uma procissão a passar na parte de trás de minha casa a cantar a plenos pulmões um granda KUMBAYA.

"E às cinco e meia em ponto, telefonas-me a dizer: não sei viver sem ti amor, não sei o que fazer...

Faz-me favas com chouriço, o meu prato favorito, quando chego pra jantar, quase nem acredito..."


Dizque foi isto que cantei. E que broa descomunal, digo-vos eu!

segunda-feira, 22 de maio de 2006

Ritorna Maestro


Tristeza... alegria... emoção!


Foi um dos dias mais tristes da minha carreira e, ao mesmo tempo, um dos mais felizes. É estranho mas eu explico: foi um drama para mim saber que ia ao Estádio da Luz e não me ia equipar no balneário do Benfica. Naquele estádio, nunca me tinha equipado noutra cabina que não na do Benfica. Eu acho que nem reconheci a cabina visitante. Foi um drama pensar que ia entrar no estádio como adversário, que ia entrar no túnel pelo outro lado. Estive 13 anos naquela casa e quando jogava nas camadas jovens, mesmo quando não jogava no estádio, era apanha bolas nos jogos do Benfica. Estava sempre lá. Naquela noite eu não queria ser recebido em apoteose, mas também temia que os adeptos não tivessem compreendido as razões da minha saída. Quando cheguei ao aeroporto percebi que não havia motivo para receios, a recepção aí foi logo maravilhosa! A chegada ao estádio foi também uma grande festa. Se por um lado estava feliz e orgulhoso por ser tão saudado, por outro estava triste porque ia jogar com outra camisola que não a do Benfica.

Na Fiorentina tiveram comigo um comportamento fabuloso. O Batistuta praticamente exigiu que eu fosse o "capitão" naquele jogo. Os jogadores do Benfica estavam ali a ser apresentados para a nova época, mas o João Vieira Pinto, que era o "capitão", só me dizia: "Este jogo é para ti." Recordo-me que nas bancadas estavam duas faixas muito grandes dedicadas a mim. Uma dos No Name Boys e outra dos Diabos Vermelhos. Uma tinha uma enorme camisola vermelha com o número 10 e com a frase: "Por muitas mais que vistas esta será sempre a tua.". Ainda hoje me arrepio quando penso naquela frase. A outra estava escrita em italiano: "Rui Costa no coração (o coração estava desenhado)." Cada vez que tocava na bola era aplaudido. Até que chegou aquele momento.

Acredito que foi o destino. Era o primeiro jogo que eu estava a fazer na época e não deveria fazer o jogo todo. Estava programado fazer apenas 60 minutos. Nós estávamos a perder 1-0 e eu estava a sentir-me bem e por isso pedi ao meu treinador para jogar mais um pouco. Fui ficando, ficando... Estava a acabar o jogo quando apareceu aquele lance. Quando vi a bola entrar na baliza ia festejar porque o golo era da minha equipa, mas naquele preciso momento apercebi-me que estava pronto para festejar um auto-golo... quase. E saiu-me natural aquele descontentamento. Vieram-me as lágrimas aos olhos. É um dos momentos mais tristes da minha carreira, mas ter aquele estádio de pé a aplaudir-me foi uma coisa indescritível.

Lembro-me que o Vítor Pereira veio ter comigo e disse-me uma coisa que eu nunca mais vou esquecer: "Goza este momento porque é único." De facto, jogar num estádio como adversário e ser aplaudido depois de marcar um golo contra a equipa da casa... é uma imagem que eu tenho gravada, mas que nem gosto de rever na televisão.


Rui Costa


Texto retirado deste blog, que por sua vez o foi buscar ao livro A Luz não se apaga.

Há vícios que são virtudes

O último álbum da Shakira chama-se Oral Fixation. É bom ver uma estrela vir a público revelar as suas preferências, sobretudo quando se está sempre a dizer que as celebridades devem dar o exemplo às gerações mais novas.

O futuro está aí, e tem tudo para ser triunfante. Enquanto esperamos, podemos sempre ir vendo o vídeoclip (ou o belo do teledisco para os mais velhos) do Hips don't lie, parece que se tá a jogar playstation com o corpo dela.

sábado, 20 de maio de 2006

Adeus Blanka

Beto recebeu uma proposta de um clube da Grécia e a sua saída só depende do novo treinador. Ao jogador é oferecido três anos de contrato e mais um de opção, mas o Benfica já avisou que pretende ser indemnizado.

Concordo plenamente, o Benfica e os seus adeptos têm de ser indemnizados, e bem, pelos danos provocados por este jogador ao longo de toda a época. O clube grego já veio a público afirmar que também concorda com a indemnização, desde que esta seja suportada pelo jogador, e que, para além disto, exige do Benfica o pagamento de uma verba para ficar com o jogador.

sexta-feira, 19 de maio de 2006

Conversas

ze diz:
deve te foder todo
"alguém" diz:
duvido
"alguém" diz:
por acaso
"alguém" diz:
xeirame k é alguem com mta vontade
"alguém" diz:
mas com pouco jeito
ze diz:
mas pouco pezinho?
"alguém" diz:
yep
ze diz:
é como o beto
"alguém" diz:
tal e qual


Pérola do msn numa sexta-feira à noite. Para uma melhor compreensão da conversa, sugere-se que oiçam o relato da antena 1 do 2º golo do Benfica ao Manchester, este ano. A identidade do outro interveniente no diálogo encontra-se salvaguardada por questões do foro pessoal...

Considerações sobre o RAP tuga

1 - Num país com tanta malta "bronzeada", porque é que praticamente todos os rappers são brancos?

2 - Quem foi o Einstein que achou que rap com suotáque nuortênho se ouvia bem? Ouvir um grupo de gajos a rappar e a trocar os v's pelos b's é no mínimo contra-natura, não havia ninguém de Lisboa disposto a meter um boné na cabeça, vestir um casaco dois tamanhos acima e fazer westsides enquanto cantava umas rimas de protesto contra as desigualdades sociais?

quinta-feira, 18 de maio de 2006

Floribella, ninguém a espanca?

Vi ontem a Floribella pela primeira vez. Gostei sobretudo...do intervalo.

De génio

Andava eu à procura de um crack para um programa para transformar .mp3 em .midi, quando ao abrir um site começo a ser invadido por vírus. Até aqui normal, é um risco que se corre (ainda que hoje em dia seja raro em sites de cracks) neste tipo de sites.

O problema foi que os vírus não vieram sozinhos, mas sim de mãos dadas, aos saltos, com um programa chamado Spy Sheriff, que se auto-instalou no meu computador e se iniciava mal o ambiente de trabalho arrancasse. Este Spy Sheriff é um programa para detectar spyware, trojans, malwares, etc.

A solução era fácil, diria quem percebe um bocado de computadores: tirava o processo do arranque e eliminava os trojans com um ad-aware. Realmente até era, se não tivesse ficado sem Internet Explorer, firewall, explorer, task manager e barra do desktop (e o pc tava lento pa caraças). Basicamente, a única coisa que funcionava era o cabrão do spy sheriff, que fazia um scan, detectava os tais vírus, e oferecia-se para resolver o problema...caso comprássemos o programa, que por sinal era o único site que o internet explorer abria. No mínimo de génio, só faltava oferecer a possibilidade de escrevermos no site o quão útil o programa tinha sido, encorajando futuros consumidores a comprá-lo.

A solução, pensei eu, era formatar...mas ia perder tudo o que tinha, já que não tenho paciência para fazer backups. Meti mãos à obra (era 1 da manhã quando isto aconteceu), e às 4 da manhã tinha o problema resolvido, sem ter dado um tostão ao Spy sheriff.

Quando acabei, virei-me para o computador e disse "PUMBA!TOMA LÁ QUE JÁ ALMOÇASTE!". E fui colar cromos. Por acaso não fui, fui dormir que já não podia com uma gata pelo rabo (frase que confesso nunca ter atingido, há alguém que possa com uma gata pelo rabo?).

terça-feira, 16 de maio de 2006

O pensador Gabriel


Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo na mudança da mente. E quando a mente muda a gente anda pra frente.

Seja você mesmo, mas não seja sempre o mesmo.

A gente pensa que é livre pra falar tudo que pensa mas a gente sempre pensa um pouco antes de falar.

Qualquer dia ainda te convido para escrever aqui.

sábado, 13 de maio de 2006

Rap dos Matarruanos



Provavelmente o melhor sketch de Gato Fedorento até agora, episódio de ontem. Não se vê um boi, mas ouve-se a música perfeitamente. Os últimos 40 segundos então, são de pura magia...

"GADO BOVINO? TUDO BEM! GADO CAPRINO? NADA CONTRA! GADO SUÍNO? SIM SENHOR! MAS, É COM A MINHA OVELHA QUE EU QUERO ESTAR FAXAVÔÔÔR!"

sexta-feira, 12 de maio de 2006

Maputo, aqui vou eu.


Luís Filipe Vieira concluiu ontem um dos grandes objectivos delineados para a presença em Moçambique. Apresentou, à tarde, no hotel onde a comitiva está instalada, o kit de novo sócio destinado ao mercado “mamba”, produto que tem um preço estabelecido em 850 mil meticais (cerca de 25 euros).

Pela primeira vez na minha vida acho que gostava de viver em Moçambique. Digamos que me perguntam quanto é que gastei na noite de ontem, a minha resposta seria "30 euros mais ou menos, foi puxadota". Resposta insonsa não é? Imaginemos agora que me fazem exactamente a mesma pergunta, estando eu em Maputo, após uma noite a ritmos de kizomba. A minha resposta seria "Epah perdi a cabeça, gastei para lá de um milhão de meticais...". "Essa merda é toda tua", diriam do outro lado.

quinta-feira, 11 de maio de 2006

Odisseia

Marcelo D2 anda à procura a batida perfeita. Outros, os surfistas, procuram a onda perfeita. Eu, Zé Maria Júdice, lancei-me a partir de hoje numa odisseia à procura do bolo de bolacha perfeito.

Chamem-me de louco, argumentem que é um feito impossível de se realizar, tamanha é a oferta de bolos de bolacha. Talvez, mas eu sei que ele existe...um bolo de bolacha feito com a verdadeira Maria tirada de um pacote acabado de abrir; que ao mesmo tempo resista ao garfo e o convide a entrar; que seja doce sem que se questione a presença do café, ainda que muito ao de leve; esteticamente irrepreensível; no fundo, uma aventura dos sentidos.

Prometo que enquanto houver pelo menos um bolo de bolacha numa pastelaria/restaurante que eu não tenha provado, não desistirei do meu intento. Ciente das dificuldades e obstáculos que encontrarei no meu caminho (pastelarias fechadas porque é feriado, falta de liquidez financeira, empregados que põem o bolo propositadamente no micro-ondas uns segundos para o amolecer, fruto da inveja que sentem da minha ousadia), lanço-me nesta aventura admitindo apenas um resultado: a descoberta do bolo de bolacha perfeito.

Cadernetices II

Como saber se um puto é mimado ou não? Simples, depende da quantidade de elásticos que ele tiver de usar para segurar o molho de cromos repetidos. Nenhum elástico é sinónimo de falta de mimo, e a partir dos três tá o caldo entornado.

Eu costumava ter dois, tava mesmo no limite. Safa.

terça-feira, 9 de maio de 2006

Scolari


Leio na DEZ que Scolari pode estar comprometido com o Benfica, deixando a selecção a seguir ao Mundial para comandar o SLB.

O problema é que essa situação, das duas uma, ou não vai, ou não pode (espero eu) acontecer. Passo a explicar:

1º cenário, o do não vai. Portugal ganha o Mundial, Scolari é elevado a herói nacional, e concerteza pedirá condições salariais que só a FPF, com o apoio da Nike, tem para oferecer em Portugal. Pessoalmente, espero que seja isto que aconteça, porque fica toda a gente contente.

2º cenário, o do não pode (espero eu). Portugal alcança qualquer outro resultado que não a vitória, até pode ser a final, o que talvez seja até tão mau, para este efeito, como ser eliminado na fase de grupos.

É dito, na tal reportagem, que Scolari "colheu uma certeza: jogadores e adeptos da Selecção Nacional estão com ele.". Discordo completamente. Nem estou a falar do caso Baía, que criou inúmeros ódios de estimação para com o seleccionador, refiro-me sim, ao trabalho que Scolari desenvolveu até hoje, marcado por episódios como por exemplo a equipa que fez entrar no 1º jogo com a Grécia, a (péssima) gestão de emoções realizada antes da final do Euro ou os equívocos nas convocatórias (por exemplo Postiga, fora de forma desde que foi para o Tottenham, está certo(?) no Mundial). Tudo somado, o seu percurso à frente da equipa das quinas tem sido alvo de inúmeras críticas (mas também de elogios, verdade seja dita, porque também fez coisas boas), e o seu estatuto de seleccionador é, a meu ver, tudo menos consensual. Basta uma campanha menos conseguida agora na Alemanha para que as críticas ganhem destaque, e caso Scolari saia, irá para o Benfica, confirmando-se o rumor.

E porque é que isso não pode (espero eu) acontecer? Porque no Benfica não vai ter muita margem de manobra perante os adeptos, tornando-se o bode expiatório ideal caso as coisas não comecem a correr bem: é estrangeiro, "não conseguiu" levar a selecção ao título mundial (e por isso é que ficar na final pode ser tão mau como perder nos grupos, porque a frustração seria enorme), e não vai ter aquele benefício da dúvida que os treinadores estrangeiros têm ao início por não serem conhecidos dos adeptos. O mais provável era aguentar-se seis meses, a contestação tornava-se insuportável, e Scolari, que não é parvo, forçava o despedimento e mandava-se com a cláusula de rescisão (choruda, pois claro) para o Brasil.

Por isso mesmo, e a ser verdade este rumor, espero que Portugal ganhe o Mundial. Pelo Benfica.

segunda-feira, 8 de maio de 2006

Cadernetices

"alguém" diz:
a caderneta tem 600 ?
"alguém" diz:
portanto vai custar uns 50 euros a caderneta

Decidi pôr "alguém" em vez de Brinho porque já bati no ceguinho no outro post (epah bolas, outra vez!). Ainda não tinha pensado quanto é que me ia custar a caderneta, nem tou interessado nisso, porque acho que é a negação do espírito da caderneta, quando era puto não fazia essas contas, limitava-me a querer comprar carteirinhas e a colar cromos, ter um molho de repetidos presos por um elástico para levar para as aulas e trocá-los desenfreadamente até acabar a caderneta. Tinha que vir este parvo lembrar-me que não tamos na 4ª classe e calcular os custos da caderneta. Se não te importas, prefiro continuar a voltar à infância todos os dias durante uns minutos sem me preocupar com o custo médio de cada equipa participante.

Noutro assunto, dei por mim a pensar, enquanto rasgava carteirinhas, que a decisão da FIFA no Mundial de 1998 de alargar o número de equipas participantes para 32 teve de certeza a mão da Panini por trás...coincidências, o tanas!

sábado, 6 de maio de 2006

Para todos os Anti-Bush


Estoril Open: Depois do triunfo em pares, final chinesa no quadro feminino de singulares

É só uma questão de tempo até que a China domine o Mundo, seja do ponto de vista cultural, económico, desportivo, político, e quem sabe até bélico, é uma questão de probabilidades, com mais uns pozinhos claro.

Pergunto-vos o que é que preferem, ser invadidos por fast-food chains, música comercial aos pontapés e multinacionais que gastam milhões a promover um consumismo desenfreado, para além de terem de aprender inglês para se safarem no estrangeiro; ou, por outro lado, ver o mundo inteiro infestado de lojas dos 300, sair da bola e ir comer um chop-suey de vaca em vez de um supermenu, ligar o rádio e ouvir aquelas músicas em que os videoclips têm sempre um casal a passear no meio de uma floresta com o barulho de uma cascata por trás, and, last but not least, inscreverem-se num curso de mandarim porque decidiram ir trabalhar para o estrangeiro.

Sorte têm vocês em poder criticar os discursos do Bush, daqui a uns anos arriscam-se a gramar com o Hu Jintao a explicar o porquê da ofensiva chinesa a Kamchatka (porque não uma homenagem ao Risco, já que estamos a falar do mapa geo-político?). Dá Deus nozes a quem não tem dentes...

terça-feira, 2 de maio de 2006

Não, obrigado

Fui hoje convidado por um amigo meu, cuja identidade vou proteger, mas que se chama Brinho (bolas, descaí-me), para participar num curso de culinária, juntamente com outros amigos meus, cujos nomes também não vou revelar, mas que se chamam Caetano, Froes e Sacavém (seeing the pattern here?).

Respondi-lhe que não, que prefiro que eles cozinhem para mim quando tivermos de férias. É que, como costumo dizer, não gosto de cozinhar, gosto é de comer.

Estão abertas, por falar nisso, as inscrições para o mini-curso (tipo produção musical) de take-away, sendo estas as cadeiras:

- História do Take-away, porque todos os cursos têm uma cadeira de história;
- Direito do Take-away, pelas mesmas razões;
- Oratória, para que possam convencer até 6 pessoas que o jantar encomendado foi "cozinhado" por vocês (para um maior número de pessoas têm de adquirir o pacote premium, porque há sempre um pacote premium);
- Memorização visual, para que possam decorar números de telefone e menus inteiros, deixando assim de estar dependentes do panfleto do no-menu para encomendarem o jantar.

Se forem um dos 10 primeiros a se inscreverem, ou optarem pelo pacote premium, receberão gratuitamente os seguintes manuais: Páginas Amarelas desvendadas e o Take-Away, mais que um recurso, uma arte.

Tenho uma ligeira sensação que vou ser ostracizado depois deste post, mas tou a contar comprar novos amigos com a fortuna que vou fazer com o curso.

Friends, the end


Fiquei dois meses para ver o último episódio de Friends, e ontem à noite vi-o finalmente. Na última cena, em que eles saem de casa, comecei a pensar que se a mim me tava a fazer confusão vê-los a despedirem-se daquela casa vazia, como terá sido para eles, que passaram 10 anos da vida deles a fazer aquilo?

De qualquer maneira, como diz a minha afilhada Inês (e outros milhões de bébés imagino), "cabouxi", agora tou em LOST(isto ela já não diz).Haverá aí outra que me recomendem?Já ouvi falar do Prison Break, OC, Doctor House...any suggestions?

sábado, 29 de abril de 2006

Frases minhas II

Não quero ficar velho, quero ficar antigo.

Frases minhas

Don't take no for an answer, but also, don't take no as a yes.

quinta-feira, 27 de abril de 2006

O dinossauro e o canhão



Depois de Gabriel Alves em Old Trafford...


A consagração, em Barcelona, com Sónia Araújo!

quarta-feira, 26 de abril de 2006

Despedida em grande

Comissão Disciplinar da Liga antecipa «adeus» de Sá Pinto

Depois de ter sido expulso no suposto jogo do título contra o Porto, Sá Pinto entendeu que a melhor forma de se retirar do futebol nacional era com uma expulsão, em casa, frente à Naval. Aplaudo a decisão, à falta de melhor elogio, é uma retirada...original!

segunda-feira, 24 de abril de 2006

Carta aberta a Deus (a propósito do post anterior)

Deus,

Quando eu era puto tinha cabelo liso. Uma vez a minha empregada disse-me que quando eu era mais novo gozava com os meninos pretos que via na rua, apontava-lhes o dedo e dizia que eles eram pretos a rir-me.

Foi por isso que, com o passar dos anos, transformaste o meu belíssimo cabelo liso numa não menos atraente carapinha? É que se foi, avisa-me sff, não me apetece muito daqui a uns anos começar a cheirar a caril; ou ter uma vontade incontrolável de abrir uma loja para vender todo o tipo de bugigangas que não servem para nada.

Faças o que fizeres, peço-Te é que nunca me despertes o desejo de ir para o pé dos sinais da Castilho de balde e limpa-vidros na mão, tal como Te peço que nunca me faças desenhar corações num dos vidros do carro quando o condutor não me der nada.

Obrigado.

Equívoco, só pode.

Mas que merda é esta?

Espero que isto não passe de um equívoco...

kentucky FRIED chicken


Everything in life is just a matter of perspective. That's why the place you're watching things from makes all the difference. Also, that's why you move, from one "viewpoint", let's call it that way, to another, to see things from a different perspective. Assuming yours' the best one without moving first is plain stupidity.

However, after all's said and done, I mean, seen and done, which one's the best, which one should you hold on to?Then again, it's all a matter of perspective, and I have mine. Is it the best one?From the place where I'm standing, yes. And that's the one I'm holding on to.

"a língua inglesa fica sempre bem..."

sexta-feira, 21 de abril de 2006

Galistars - Lobos: rescaldo



Ficha de jogo

Galistars
GR: Caetano Macedo
Tomás Cancella de Abreu
Zé Maria Júdice
Henrique Botelho
Bernardo Froes

Los Lobos
GR: Martim Motta
Lourenço Macedo
Tiago Barreto
Chico Cancella de Abreu
António Galiano


Golos: Eu (3), Froes (1), Henrique (1), Chico (5), Tiago (5)
Assistência: 3 ciganitos
Local: Polidesportivo da Ajuda
Disciplina: Nada a registar

LOS LOBOS EM TARDE INSPIRADA APROVEITAM EQUIPA GALISTARS DESFALCADA


Jogou-se ontem o 7º jogo do clássico Lobos-Galistars, que teve como vencedores a primeira equipa, pese embora estes continuem ainda a perder por 4-3.

Foi uma vitória justa dos Lobos, que desde o início foram a equipa mais esclarecida no polidesportivo, tendo alcançado a vantagem muito cedo. Agarraram-se a ela com unhas e dentes, e controlaram o jogo até ao apito final, que terminou com o resultado de 10-5.

Os Galistars, a espaços, ainda esboçaram uma reacção, mas a equipa acusou a ausência do atacante Pipos, impossibilitado de comparecer à última hora, preso por razões profissionais. Foi claramente um dia não para os campeões, assim se explica a diferença abissal de 5 golos. Não obstante, os Lobos apresentaram-se mais organizados lá atrás, e a dupla Tiago - Chico estava nos seus dias, arrasando a linha defensiva galistar.

Concluindo, foi uma vitória merecida para os Lobos, um verdadeiro balão de oxigénio para este colectivo, que se perdesse este jogo tinha visto as suas ambições (definitivamente?) comprometidas. Mas é só uma questão de tempo até que isso aconteça...

Não à liberdade de expressão futebolística feminina

"”José Veiga cria dentro do clube e do balneário um ambiente de permanente crispação.” Quem o diz é Paula Pinho, vice-presidente da Mesa da Assembleia Geral do clube e vice-presidente da Mesa da Assembleia Geral da SAD ‘encarnada’."

Não tenho nada contra mulheres que gostam de futebol, que se interessam pelo jogo (até porque admito que é natural que isso aconteça), têm um clube, essas coisas. O problema é quando decidem começar a discuti-lo, aí é que fica logo o caldo entornado.

Movimento anti-manifestações?

Detesto manifestações. Desculpem, detestar é um eufemismo, eu abomino manifestações, sejam elas de sindicatos, de universitários, ou de vilas que querem ser promovidas a concelho.

Razões não me faltam. Primeiro, porque 9 em cada 10 manifestações têm lugar ao lado de minha casa (moro ao pé da Assembleia para quem não sabe). O trânsito torna-se a modos que caótico, ruas são cortadas, mas o pior de tudo é mesmo ter de ouvir em casa durante horas a fio alguém (em regra um velho semi-careca de bigode farto e camisa aberta até ao peito, preso nos anos 70) a gritar a um megafone frases de índole comuna, do género "Professores unidos, jamais serão vencidos". Note-se que existem cerca de 5 frases, que suponho que devem constar de um qualquer manual de manifestações, passíveis de serem utilizadas em todas as manifestações, bastando para tal preencher o vazio com o grupo social/cidade/curso afectado;

Continuando, não suporto manifestações porque transpiram comunismo, são a meu ver uma das representações mais fiéis e precisas dessa ideologia, e de tudo o que daí resultou. Sindicatos, proletariado, protecção laboral, you name it. Sobretudo sindicatos.

Por fim, com o país numa situação económica deficiente, o que menos precisamos é de centenas de trabalhadores parados durante um dia inteiro(às vezes mais) sem produzir; e falando em dinheiro, é impressionante como todos os que participam na manifestação têm uma t-shirt, bandeirinhas sem fim, bonés, crachás, isqueiro, etc., com inscrições directamente relacionadas com o movimento, que, digo eu, custam dinheiro. Para não falar que, ao fim do dia, metade dessas bandeirinhas de merda acabam a voar pelo passeio da minha rua.

Bem sei que o direito à manifestação foi uma das conquistas mais importantes do 25 de Abril, que antigamente esta situação era impensável, pois as pessoas não podiam exprimir livremente a sua opinião quando esta intentasse contra a acção do Estado. Boa, parabéns, mas então que criassem um recinto próprio para manifestações, com uma acústica apropriada e caixotes de lixo para as bandeirinhas, acessos em condições, e tudo a que os manifestantes tinham direito. O problema é que o mais provável era que esses parasitas se viessem manifestar contra esse recinto. E onde?Adivinhem!

O que faço eu contra esta praga? Pouco, se bem que é complicado fazer mais. Sempre que vejo uma manifestação, abro a janela do carro e vocifero "VÃO MAS É TRABALHAR!", recebendo de volta vários olhares desaprovadores, misturados com uns quantos insultos. É preciso fazer mais! Proponho, como tal, a criação de um movimento anti-manifestações, para pôr cobro, de uma vez por todas, a esta séria ameaça.

ANTI-MANIFESTANTES, UNIDOS, JAMAIS SERÃO VENCIDOS!

quinta-feira, 20 de abril de 2006

Aula de história, parte III


2005: DEPOIS DO HIATO, CLÁSSICOS DE VOLTA, AGORA COM RIVALIDADES FAMILIARES À MISTURA

Onde é que tínhamos ficado?Já sei, no campeonato interrompido na Páscoa de 2004, tendo desde aí sido jogado apenas um desafio, cujas receitas reverteram para caridade, e que teve a vitória dos Lobos (os Galistars entraram na festa e decidiram pôr um sorriso na cara de quem mais precisava, a equipa adversária).

Retomando o fio à meada, estávamos nós em Dezembro em animada jantarada pré-noite na Trindade, quando decidi lançar o mote: "E se voltássemos com os Galis-Lobos?". A ideia foi prontamente acolhida por todos, e ambas as equipas começaram a ser gizadas, tendo em atenção algumas alterações morfológicas ocorridas no nosso grupo. O Chico CA era uma contratação de peso para os Lobos; Caetano voltava à baliza, e Tomás CA reforçava a defesa; Pipos, por seu turno, estava referenciado pelos olheiros dos Galistars. Para além disso, introduziu-se uma novidade defendida por mim, entre outros, há muito, que passava pelas equipas terem 6 jogadores fixos, permitindo não só uma maior intensidade nos jogos mas também uma realização dos mesmos com mais frequência.

Quanto às regras, são bastante simples. Duas partes de 25 minutos (30 minutos se começarmos a horas, o que nunca aconteceu lol), à melhor de 15 jogos, ou então, se essa marca não for alcançada, quem tiver mais vitórias até ao final do mês de Junho. No fim, jantarada com todos, e a equipa que perdeu paga o jantar ao adversário.

E o lugar?Pois bem, a Lapa já não era hipótese, e decidimo-nos mudar para o CACO, se bem que temporariamente, pois o estádio oficial do derby, mais conhecido como Polidesportivo da Ajuda ou "O Morro", tinha acabado de sofrer as remodelações exigidas pela UEFA para albergar os aguardados derbies.

A constituição das equipas é a que vocês já sabem, tendo Pipos escolhido os Galistars depois de experimentar os dois lados (salvo seja), envergando a camisola com uma fibra e vontade de vencer típica de um Galistar. A partir daqui, já todos conhecem, a equipa das estrelas segue na frente por 4-2, e amanhã joga-se mais um derby, às 6 da tarde!

Edições anteriores:

Parte I
Parte II

quarta-feira, 19 de abril de 2006

Humor negro eu sei...

Mas quando recebi esta mensagem, não deu para não me rir. Dizia o seguinte:

"Morreu o dino, manda esta mensagem a 10 pessoas e amanhã morre o zé milho"

terça-feira, 18 de abril de 2006

Façam-me um favor

E expliquem a gajos como este, que o que eu quero é ler uma crítica de cinema, não uma tentativa de dissertação escrita por um pseudo-intelectual.

Um gajo carrega na crítica para perceber se deve ou não ir ver o filme, e leva com informações muito bonitas e interessantes, mas eu quero lá saber quando vou ver o filme se o país onde o "chaplinianismo" fez mais escola foi em Itália, ou se o Benigni é um narcisista e faz incursões no universo jarmuschiano. Podes dizer isso à vontade, mas no fim faz um favor às pessoas como eu que estão na dúvida e diz "Epah, não vale um charuto"; ou então "Grande filme, ideal para ir com uma gaja". Coisas mundanas, eu sei, mas faz um esforço, no fundo não és mais que um mero crítico de cinema.

É que para mim, críticos literários, de cinema, etc, não passam de frustrados que não conseguem ser bons na área em questão, por isso é que escrevem críticas. Agora dou é por mim a pensar: e eu, que acabei de criticar os próprios críticos?

sexta-feira, 14 de abril de 2006

Portuguesices

Hoje, numa lojinha, conversinha entre empregado e uma senhora que tinha comprado uns sapatinhos para o filhinho:

- Quer que ponha na caixinha?
- Não, deixe estar obrigado, dê-me só um saquinho.

quinta-feira, 13 de abril de 2006

Dúvida existencial

Mas afinal de contas, o que raio são purpurinas? Parece nome de doença..."tás com escarlatina?Epah não, muito pior, ontem à noite acordei cheio de purpurinas e hoje não posso com uma gata pelo rabo".

Iluminem-me sff.

quarta-feira, 12 de abril de 2006

A geografia não é o seu forte

"Aveiro...isso é no Algarve?(...)Sei lá onde fica Aveiro!"

Bernardo Horta e Costa

(Pouco depois, à conversa comigo)

"- Não sabes onde é que fica Aveiro?!É que se não soubesses onde é que fica o Fundão, eu até percebia...
- Onde é que fica o quê?"



O homem merece uma estátua. E um bilhete de comboio para Aveiro. E outro para o Fundão.

Contra os canhões marchar, marchar




Depois deste post, o mais sensato seria fechar o blog, é que por mais inspirado que esteja é complicado fazer um post melhor que este.

A não ser que...não, é melhor não.

terça-feira, 11 de abril de 2006

Os míudos já não cantam como dantes


A última Sábado traz um artigo, na parte de educação, relacionado com as cantigas entoadas pelas crianças, que foram alvo de uma mudança.

Reza o artigo que se tem pedido aos professores para alterar as letras violentas de músicas como o Atirei o Pau ao Gato, tendência essa que surgiu nos EUA, aposto que por obra e graça de duas feministas de esquerda (peço desculpa pelo pleonasmo). O texto tem várias pérolas que não podia deixar de comentar.

Começa por informar que já existem duas versões alternativas ao célebre Atirei o Pau ao Gato, uma com sotaque brasileiro, onde se faz o seguinte apelo: "não atire o pau no gato", pois "O gatinho é nosso amigo/não devemos maltratar os animais." (as escolas que adoptaram esta versão acompanham a cantilena com um charro que roda pela turma toda);outra, que à boa maneira portuguesa, limitou-se a substituir (leia-se remediar) as palavras perigosíssimas pau e morreu, por pão e comeu, ficando a letra "Atirei o pão ao gato/Mas o gato não comeu". Ao que parece, nem O Capuchinho Vermelho (onde o lobo passou a apenas assustar a avó em vez de a comer) se livrou desta razia.

É bom ver que se começam finalmente a resolver os problemas sérios e de fundo da educação portuguesa, responsáveis por várias gerações de assassinos de gatos e devoradores de velhinhas. Alguém me explica o problema de incentivar as criancinhas a matar os animais mais manhosos que aí andam, os gatos, e a explicar-lhes, desde pequeninos, que safarem-se com mulheres mais velhas é o caminho a seguir?

domingo, 9 de abril de 2006

Ponto caramelo

Quando é que se sabe que um som de house passou à história? Simples, quando dá na "Cidade FM", o maior cemitério de house music que aí anda. A última vítima foi o Let's Get Down, com alguma pena minha, mas às vezes temos de aceitar o destino...

sábado, 8 de abril de 2006

Size matters

Tava a ir buscar a minha mãe ao aeroporto, rádio sintonizada na TSF, quando oiço nas colunas de alvalade o "Barcelona", de Freddy Mercury e Montserrat Caballé, entoado a plenos pulmões pelos adeptos do sporting e porto, segundo os locutores.

Ao que parece, José Veiga encontra-se neste momento em contactos intensivos com as rádios locais de Halmstad e Bratislava, de forma a saber se existe alguma música conhecida por aquelas bandas que possa ser passada amanhã no Estádio da Luz.

Maior que a nossa glória, só a vossa inveja...

sexta-feira, 7 de abril de 2006

Barcelonadas

Deslocação do outro mundo, é que "só" faltou mesmo a qualificação para que fosse perfeita.

3 dias de puro pagode, e uma quarta-feira inesquecível em Barcelona! Falava-se português na plaza Catalunya e nas Ramblas, para onde quer que nos virássemos víamos não um mas vários benfiquistas.

Orgulhoso de ser do Benfica. E de ter visto o maior canhão nacional da televisão portuguesa, Sónia Araújo, ou a futura mulher do Galiano.

Vídeos e fotografias para breve, e aí vão ver do que estou a falar, foi épico!

terça-feira, 4 de abril de 2006


descobri o olhar. ah, e o silêncio. como nos filmes...



(em BArcelona até quinta-feira a realizar um sonho de criança, e a cantar por ti BEnfica, até que a voz me doa!)

segunda-feira, 3 de abril de 2006

Aula de história, Parte II


O INÍCIO DOS CLÁSSICOS: Os tempos do Pedro Nunes, parte II

Depois da parte I, segue-se logicamente a II. Estávamos nós no 12º ano, quando se decidiu dar a início a uma tradição que serviu para catapultar os Galistars para os píncaros da fama, para os mais desatentos estou a falar dos clássicos que opunham os Galistars aos Los Lobos, no pavilhão da Lapa. Na primeira edição, a equipa dos Galistars era a seguinte: Caetano Macedo, Henrique Botelho, Eu, João Cruzeiro, Bernardo Froes e António Galiano. O Froes e o Caetano foram aquisições que desde o início mostraram que o seu coração só tem uma cor, o azul e amarelo, e o seus nomes hoje em dia confundem-se com Galistars. Quanto à dos Los Lobos, era a seguinte: Motta (diabólico na baliza), Tiago Barreto, Lourenço Macedo, Duarte Nunes e Bernardo Pina (este jogador pertencia aos dois grupos, e na primeira edição optou por jogar nesta equipa, decisão de que o próprio se viria a arrepender, como lerão adiante).

Quem ganhasse mais jogos no fim do ano recebia um jantar da outra equipa, e a vitória, suada é verdade, mas inteiramente merecida, sorriu aos Galistars.

O VERÃO QUENTE DE 2003: A passagem para a inutilidade, desculpem, universidade

A pré-temporada foi agitada, e duas transferências polémicas ocorreram, estando ainda pendente o resultado de uma queixa apresentada à UEFA pelos Galistars, na sequência do comportamento incorrecto que os Los Lobos tiveram ao aliciarem o jogador e capitão António Galiano. É verdade, foi neste Verão quente que se deu essa mítica transferência, por um saco repleto de avelãs; mas não foi a única, dado que Bernardo Pina, descontente com o ambiente vivido no seio da equipa dos Lobos, passou a vestir a camisola dos Galistars. Para além destas alterações, Duarte Nunes retirou-se da equipa para se dedicar a outro dos prazeres da vida, tendo sido contratado para o seu lugar Kiko Machado. Os Lobos procuravam com estas contratações não só destabilizar o seu adversário, como buscar sangue novo para tentar combater a evidente superioridade Galistar. Quanto aos Galistars, limitaram-se a acolher Bernardo Pina de braços abertos, e eu, regressado de uma lesão, tive de passar uns tempos a defender as redes.

Foi com este ambiente de crispação que arrancou a 2ª edição, que infelizmente não conheceu um fim. Contudo, nos 5 jogos disputados, os Galistars esmagaram o rival, ganhando-os a todos. Foi uma verdadeira travessia pelo deserto para os lobos, onde procuravam desesperadamente por um oásis de vitórias que lhes matasse a sede. A desmotivação desta equipa foi tanta que se decidiu interromper o clássico...

E como reagiram os Galistars à partida do seu (eterno) capitão? Não ficámos chateados, ficámos tristes, mas decidimos que tínhamos de dar a volta por cima, e desde então decidimos que não mais teríamos um capitão, em homenagem à sua pessoa. A sua partida, ao contrário do que seria de esperar, fortaleceu-nos, e a sua memória tornou-nos praticamente invencíveis...

(Parte III para quando eu voltar de Barcelona...)

sábado, 1 de abril de 2006

Aula de história, Parte I


"Mas oh Júdice, se o vosso nome é Galistars, porque é que o Galiano é dos Los Lobos?"


Foi para dar resposta a perguntas deste género que achei por bem escrever um post a contar a história destes dois grupos, de forma a que possam escolher o vosso preferido e passem a ir regularmente ao polidesportivo da ajuda apoiar a agremiação do vosso coração, desde que tragam um instrumento para ajudar a festa, seja ele a pandeireta, o oboé ou até mesmo o xilofone, o que é importante é que faça barulho.

A FUNDAÇÃO: Os tempos do Pedro Nunes, parte I

Galistars: Fundados no início do 11º ano do Pedro Nunes, os Galistars eram formados pela malta da turma G que decidiu participar no torneio inter-turmas (que teve três edições enquanto lá andei e nenhuma delas chegou ao fim). O nome, inventado numa aula por mim e pelo Teotónio em aguerrida sessão de brainstorming (se bem que a doutrina diverge, chegando até a existir um membro da equipa adversária, tido por muitos como inimputável dada a sua evidente fragilidade psíquica, que reclama para si as honras de tal feito), resulta do petit-nom do Galiano na altura, Gali (lê-se gáli), que foi obviamente nomeado capitão de equipa. O plantel era o seguinte: Galiano à baliza, eu, Teotónio, Cruzeiro, Bota, Saca e Pina. Estes são os Galistars da velha guarda.

Los Lobos: Fundados no 10º ano, o nome Los Lobos deriva de um episódio que reflecte o carácter deste grupo, assustado e instável, sendo inspirado no chefe do pai do Duarte Nunes, que quando se chateava fechava-se no seu gabinete e começava a uivar (esclarecedor). Os seus membros originais são o Martim Motta, Lourenço Macedo, Tiago Barreto, Bernardo Pina, Duarte Nunes, Salvador Simões e Marco Borges. Nunca se percebeu muito bem o que é que faziam juntos devido ao secretismo que os rodeava.

Até ao final do 11º ano a coexistência entre estes dois grupos era pacífica, situação essa que não se prolongaria por muito mais tempo...

(Parte II brevemente)

sexta-feira, 31 de março de 2006

A única coisa boa que têm é serem gémeas


Depois da festa de ontem, nunca mais compro a FHM. Mas se me oferecerem, não digo que não.

quinta-feira, 30 de março de 2006

Galistars - Los Lobos: o rescaldo



Ficha de jogo

Galistars
GR: Caetano Macedo
Tomás Cancella de Abreu
Zé Maria Júdice
Pipos
Henrique Botelho

Los Lobos
GR: Martim Motta
Lourenço Macedo
Tiago Barreto
Chico Cancella de Abreu
António Galiano
Kiko Machado

Golos: Pipos (4), Eu (2), Henrique (1), Chico (2), Kiko (1), Tiago (1)
Assistência: Uns quantos ciganitos
Local: Polidesportivo da Ajuda
Disciplina: Nada a registar

"EXIBIÇÃO ADULTA DE GALISTARS TRADUZ-SE EM VITÓRIA INEQUÍVOCA"

Após um hiato de um mês, jogou-se ontem o 6º jogo do clássico Galistars - Los Lobos, que teve os primeiros como vencedores claros, ou não marcasse o placar 7-4 no final do encontro.

No jogo que marcou a estreia do reforço de Inverno Henrique Botelho (e que bela exibição rubricou este senhor, plena de garra, com um toque de samba aqui e ali, e coroada com um golo) pelos Galistars, os Lobos não se conseguiram encontrar defensivamente, passando a maior parte do jogo a ver os Galistars jogar.

Bem organizados lá atrás, e venenosos no contra-ataque, ainda que algo perdulários, os Galistars chegaram a estar a vencer por 6-0. Nos últimos 10 minutos, contudo, os Lobos aproveitaram a quebra física do adversário, conseguindo explanar todo o seu futebol ofensivo, o que levou a que marcassem 4 golos de rajada, não obstante ter sido Pipos a fechar o resultado ao som do apito final.

Os Galistars seguem em frente por 4-2, e gostariam de aproveitar para dedicar esta vitória a João Cruzeiro, jogador Galistar que se encontra ausente a efectuar captações no Ostrava F.C.

Não percam, nos próximos dias, a apreciação individual dos jogadores da equipa adversária feita por mim e por António Galiano, bem como uma "aula de história" para responder às dúvidas dos leitores deste blog, sedentos de informação sobre o historial destes colossos do futebol de 5 de Lisboa.

quarta-feira, 29 de março de 2006

Ufadas de ar fresco


44'
Uf! Atraso de Anderson para Moretto, este deixa escapar a bola e surge Van Bommel a rematar para fora. Moretto muito nervoso...


41'
Uf! Ronaldinho assiste Eto´o, este dispara à figura de Moretto, que não segura a bola, valendo a intervenção de Léo, a chutar a bola para longe...


17'
Uf! Jogada de contra-ataque de Ronaldinho, coloca a bola em Eto´o, este assiste Deco, que falha o golo à vista...

Fonte: A Bola (jogo em directo)

Uf? É que se usaram "Uf!" nas oportunidades do Barcelona, as do Benfica tinham de ser obviamente precedidas de um "Bolas!", ou até mesmo um "Opá...", e não tá lá nada.

Violência nas ruas de Paris

Umas palavras de solidariedade para com os manifestantes que andam nas ruas de Paris a protestar contra o CPE (Contrato de Primeiro Emprego)...

VÃO MAS É TRABALHAR!

terça-feira, 28 de março de 2006

Rumo a Nou Camp


Já só faltam 4...e já agora, serei eu o único que acha que o moretto fez uma joga do outro mundo?

Cúmulo da ironia

Heath Ledger, depois do Dobra-a-espinha na Montanha (créditos da tradução para El Pibe), a fazer de Casanova. Com tantos actores, logo ele?Quase que preferia o Nélson dos Morangos...quase. Quer dizer, não preferia não, só se fosse o crómio.

segunda-feira, 27 de março de 2006

Monólogo (imaginário?)

"Como é que eu hei-de humilhar da pior forma possível a cultura cinematográfica americana?Hum, deixa cá ver...já sei, pego num filme do far west e ponho dois cowboys a comerem-se um ao outro"


Ang Lee (enquanto petiscava um arroz chao-chao)

sábado, 25 de março de 2006

Estado de espírito do intelectual

O intelectual não está bem disposto, porreiro, contente, lixado, em grande, com graça. O intelectual está tenaz, sagaz, mordaz, obtuso, rejubilante, perspicaz. Mas a melhor é mesmo...espirituoso.

sexta-feira, 24 de março de 2006

Snobismos futebolísticos (parvoíces)

"Como é que chamam ao Eto'o em Cascais? Évocê."
Salvas

Regresso ao passado

Sunblock - I'll be Ready (Baywatch Club Version)


Para um melhor aproveitamento desta música, recomendo que a oiçam com uma imagem da C.J. Parker como pano de fundo, ou então, se possível, com uma do grande Mitch Bucannon, de boia na mão, a correr em direcção ao mar, de óculos escuros.

quarta-feira, 22 de março de 2006

É cigano mas joga que se farta


Aqueles centros de trivela fazem-me lembrar as carapaças encarnadas do Mario Kart, era só carregar no botão e tava a andar.

terça-feira, 21 de março de 2006

Para fans de Simpsons

Um vídeo de perder a cabeça, com as "vozes" dos personagens no programa do Conan O'Brien, hilariante!

segunda-feira, 20 de março de 2006

Jogada de mestre

Nunca pensei que fosses tão inteligente, ao ponto de mudar de clube à entrada da adolescência para evitar qualquer suspeita, tendo já em mente que o sporting iria enveredar por um projecto que tu sabias que iria fracassar para, anos mais tarde, poderes ser um dos responsáveis pela inviabilização da proposta que podia salvar o clube.

Revelaste-te um Benfiquista como há poucos Henrique, sabes tanto...já tu, Martim, és pateta.


try it

domingo, 19 de março de 2006

Um bom dia do pai

Ou como eu prefiro lhe chamar, um bom dia da associação de comerciantes de Lisboa.

sábado, 18 de março de 2006

Try it at your own risk

Experimentem este jogo altamente viciante, daqueles ideais para quando se tá a fazer horas para alguma coisa.

O máximo que consegui foram 25 segundos, e vocês?

Faltou-vos um bocadinho assim

sexta-feira, 17 de março de 2006

Parvoíces III

A Igreja e a União Europeia lançaram um projecto interessante na Alemanha que passou pela "conversão" de prostitutas a...enfermeiras. Foi dada formação a 30 mulheres da vida, e estas encontram-se agora em enfermarias de cuidados com idosos, como podem ver nesta notícia.

Onde está a parvoíce então? Nas palavras de uma tal de Rita Kuhn, da Igreja Protestante, que vem comentar a performance das senhoras da seguinte maneira: "Por norma são muito boas a lidar com as pessoas e não têm receio em tocar e serem tocadas". É que quem leia isto pode ficar a achar que elas eram putas!

Incoerências

Acho no mínimo curioso as mulheres que comemoram o Dia da Mulher, e que insistem em lembrar que ainda são discriminadas, exigindo uma igualdade material de direitos e oportunidades em relação aos homens, ao mesmo tempo que aproveitam para rejubilar com a (suposta) superioridade do sexo feminino.

O problema é que as mulheres não percebem que enquanto coisas como esse Dia existirem, nunca serão "iguais", ou já ouviram falar do Dia do Homem? Claro que não, não é preciso.

quinta-feira, 16 de março de 2006

Eu e a minha malta...

Temos um blog. O nome é bastante original, é o blog da malta. Aposto que nunca teriam chegado lá sozinhos pois não?

quarta-feira, 15 de março de 2006

Gabriel Alves

Vejo o Benfica-Guimarães para a Taça, tá agora no intervalo, 1-0 para o Guimarães. Triste?Pelo contrário, com um sorriso de orelha a orelha por estar a ouvir Gabriel Alves a comentar.

É que ver futebol na televisão sem ouvir a voz eloquente deste senhor é como beber jola em copo de plástico, bebe-se à mesma mas não é a mesma coisa...

Há tempos, Almerindo Marques, presidente do Conselho de Administração da RTP, disse que o futebol não era serviço público. O que ele não percebe é que nem é o futebol que é serviço público, mas sim os comentários de Gabriel Alves, já pensaram na geração que aí vem, que não vai ter a sorte de crescer a ouvir este monstro do jornalismo desportivo português?

Nike Stickman

Depois do making of (que até nem era deste anúncio, mas sim de outro, o Stickman 2, que ainda não existe), chega a vez do anúncio. Os movimentos do Stickman são feitos pelo genial Mr. Woo, um coreano que ganha a vida a dar toques.

terça-feira, 14 de março de 2006

A bola até parece mais redonda

Este vídeo é o making of de um anúncio que não chegou a passar em Portugal, o Nike Stickman(amanhã ponho-o cá). Ronaldinho e Junichi Inamoto, internacional japonês que acho que tá no Fulham agora, dão um recital de toques do outro mundo. Predestinados...demora um bocado a sacar o vídeo todo, mas vale a pena.

Tentei fazer o upload do vídeo para o blog, mas o programa que costumo usar fritou não percebi porquê, por isso deixo o link (têm lá uma opção para fazerem o download se preferirem).