terça-feira, 21 de novembro de 2006

E o Casino pareceu pequeno


Fui ontem ao Casino de Lisboa para assistir ao concerto de José Cid. Sentado numa mesa apenas a alguns metros do palco, tive o prazer de presenciar uma performance verdadeiramente galáctica. Este Monstro encheu o Casino de cima a baixo, pondo centenas de pessoas- sem que sequer tivesse que puxar por elas- a cantar as suas baladas, que se sucediam umas às outras a um ritmo desenfreado. 20 anos, Cai neve em Nova York, Ontem hoje e amanhã, Adieu, Auf Wiedersehen, Goodbye, Na cabana junto à praia, El Rei D. Sebastião...indescritível.

E para o fim?Meus caros, para o fim a redenção em forma de música, obtida após insistentes pedidos da minha pessoa (que foram surpreendentemente seguidos poucos segundos depois por todo o casino, que pedia "FAVAS" em uníssono), com o Cid a cantar o refrão do Favas com Chouriço por duas vezes. Estava cansado, não se lembrava da balada ("Não percebo porque é que gostam tanto disto", dizia ele), enganou-se no início por duas vezes. Mas que importa?

Genial...obrigado José Cid (e Tonico), muito obrigado.

3 comentários:

Francisco disse...

deve ter sido brutal...tive mm mta pena q coincidisse com a viagem a milão!

só um aparte, o cid merecia uma ftg melhor!

El Pibe disse...

um dos dois grandes génios da musica portuguesa. Devem saber qual é o outro espero eu

mister rávárá disse...

chico ve-se mesmo que nao compreendes a essencia do jose cid..
esta foto espelha exactamente a excentricidade que faz dele o melhor musico portugues..