terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Homenagem (discreta) a Rui Veloso e ao Grupo de Baile

Se fizesse um perfume, era com patchouli. Apenas, e só. "Que bem que cheiras, é o quê?"; "Patchouli". É bastante complicado, uma vez tendo contacto com a palavra, conseguir parar de a dizer, sobretudo quando a wikipedia nos diz que também pode ser designada por patchouly, patchuli, pachouli, patechuli, pachuli e patexulí; ou que o deus Krishna vive no patchouli. "Krishna, onde é que é a tua casa?", perguntaria Maomé. "No patchouli", responderia Krishna, envergonhado.

A repetição da palavra é quase tão boa como um bolo de bolacha inteiro. Patchouli pachuli patechuli patexulí patchouly patchouli patechuli patechouly pachouli patechouly patchouli. E faz muito menos mal à flora intestinal. Viva o patchouli pachuli patechuli patexulí patchouly patchouli patechuli patechouly pachouli patechouly patchouli

1 comentário:

Cinderela disse...

Tenho a infelicidade de ter uma vizinha q usa o dito patchouli. O cheiro fica impestado pelo predio inteiro durante algumas horas e da a volta a barriga a qq mortal. Só me pergunto cm eq o conjuge da senhora aguenta aquilo?