segunda-feira, 25 de maio de 2009

Olé



Não sou contra as touradas, acho inclusivamente que a sua proibição contribuirá para a standardização e monocromatização cultural que cada vez mais se verifica nos dias de hoje, que descaracteriza um país, lhe retira alma e identidade cultural.

Diga-se, aliás, que os animais não têm direitos, quem os tem são os seus proprietários ou, no caso de violação da Lei 92/95, as associações zoófilas - isto porque, em bom rigor, e por mais crua e chocante que esta afirmação possa parecer numa primeira leitura, os animais, à luz do nosso direito, são coisas e não pessoas, não podendo ser centros de imputação de direitos e deveres. This goes both ways: da mesma maneira que um touro não pode ir para a prisão ou ser condenado a pagar uma indemnização por abalroar um espectador, também não tem o direito de fazer Erasmus em Sevilha para crescer como toiro. Um preciosismo, é verdade, mas que importa esclarecer.

O que disse não implica, no entanto, que condene ou não reconheça a espectacularidade desta manifestação, pelo impacto visual que causa e pela dor silenciosa que exalta. Genial.

2 comentários:

Tulis disse...

"da mesma maneira que um touro não pode ir para a prisão ou ser condenado a pagar uma indemnização por abalroar um espectador, também não tem o direito de fazer Erasmus em Sevilha para crescer como toiro."

lololol

Muito obrigado!

Anónimo disse...

tb nao sou contra touradas e percebo o seu ponto de vista mas não deixa de me fazer confusão que seu eu quiser torturar um animal nada me possa impedir.. is that true?se eu for dona dele posso fazer-lhe o que quiser?isso é horrivel...

ah o post é "olé"