segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Post de merda (ou ode ao traque)

No post anterior escrevi a palavra traque, que para minha surpresa não constava do dicionário do browser. Uma pesquisa rápida na priberam online não só me deu razão, como me deixou cheio de vontade de dar vários traques de seguida, ou não fosse a palavra em questão definida como um estrépito produzido pela saída de ventosidades expelidas pelo ânus. Cada traque traz consigo uma indissociável intelectualidade e até uma certa beleza, se o definirmos desta maneira.

No fundo, abdicamos de parte do nosso "Eu" intelectual para criar algo de belo, para dar a oportunidade a alguém que esteja ao lado para dizer "Chiça, que belo estrépito produzido pela saída de ventosidades expelidas pelo ânus que acabaste de emitir".

Não só é arte, como é altruísta.

4 comentários:

Anónimo disse...

e quando sai com molho, como o defines? filipe maciel

Anónimo disse...

parece-me um bocado sem senso chamar a um traque com molho felipe maciel... nao vejo a relação directa!

ze maria disse...

suponho que seja o que acontece quando se borra a pintura...

Chico disse...

lol, bom post Zé! Mas se quiseres ler sobre merda à séria, www.maescoria.blogspot.com.
Abraço