quarta-feira, 17 de junho de 2009

The quest for an arm


No fundo, acho que te quero bem. Quero o teu sucesso, embora de altruísta este sentimento nada tenha. É, aliás, profundamente egoísta - talvez seja, tenha sido, esse o meu problema. Sim, tenho a certeza, quero-te bem, mas para poder dizer, daqui a uns tempos, que aquilo que tu fazes, e que fazes bem - por mais que me custe a mim mesmo admiti-lo (porque talvez não te queira assim tão bem) -, já foi meu. Já que não te tenho, que possa dizer que te tive, aún que entre cortas tinieblas. É estúpido, é mesquinho, é pequeno, mas é assim. Porquê agora? Não sei. Talvez por achar que quem do escuro vem e no escuro dança, no escuro fica. Mas não. Estranha forma de obscuridade esta, que é de luz ofuscante. La tiniebla de luz me ciega el corazón, joder, me lo estropea como si fuera un papelito mojado y flojo. E o problema é que isto vai vivendo, mas não crescendo - e ainda bem -, lá bem para dentro, num sítio que poucas vezes dá sinal de si, que vive algures num estado de semi-hibernação e precisa de um braço que vá lá - determinado, mas sem saber - buscar os restos de uma aventura e os tire cá para fora, para desaparecerem de uma vez. Mas esse braço não será o meu, que esse não quer. Why do we find emotional self-flagellation so satisfying every now and then? Esse braço não será o meu, mas também não poderá, nunca, ser o teu.

6 comentários:

U_bien disse...

Incrível como uma coisa escrita por outra pessoa pode ser perfeitamente aplicável a outros que não o autor...

Muito Bom!

rosé mari disse...

agradecido caro amigo, agradecido..

Carol disse...

Olá! Costumo ler o teu blog e primeiro que tudo, parabéns! Espero que não te importes, principalmente porque não deves saber quem sou, mas fiz um link no meu blog para este post. gostei, bastante.. não acrescento nada ao primeiro coment aqui deixado..

Anónimo disse...

o q é q ela faz?

Anónimo disse...

anda lá, já que isto está mesmo uma novela, agora explica! o que é que faz tão bem? artista? e porque é proibido? se começas a novela tens de lhe dar um fim...

rosé mari disse...

claro que não tenho.