segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Any given sunday



As músicas só o são objectivamente. Subjectivamente, são muito mais que simples notas musicais que decidiram dar as mãos. Transportam, com elas, dias e noites, alegrias e tristezas, vontades e desejos, momentos que se prendem a elas para nunca mais as largar.

Arrisco, inclusivé, dizer que a mesma música nunca é igual para duas pessoas. A terceira música deste post, por exemplo, é uma música completamente diferente, quando ouvida por mim e por vocês. E o mais giro é que, mesmo que a oiçamos ao mesmo tempo, a aparelhagem da vida encarrega-se de a transformar em duas situações totalmente distintas. As músicas, mais do que baladas, malhas, ou batidas, são momentos congelados sob a forma de som, passíveis de serem levados para qualquer lado.

Nisso de só aparentemente serem iguais, as músicas são como os domingos. Os domingos são sempre um any given Sunday, sem no entanto o serem por inteiro. Se houvesse um dia que tivesse de ser uma tela vazia, à espera de ser pintado pelos artistas de quotidiano que somos nós, Sunday would be it.

Por ser o único que corresponde a um estereótipo de dia, permitindo, por um lado, uma fuga, mas aliciando, por outro, a não fugir dos padrões da preguiça e filmes tvi, domingo é, dos 7, o único que pode ser transformado numa obra de arte, em que a tinta que o pinta se obtém pela mistura de uma dose de imaginação e outra (às vezes, sobre-humana) de vontade de abandonar um dolce fare niente. E, quando isso acontece, domingo passa a ser Domingo, a day for a daydream. Experimentem. É como o Supersumo, é do c*r*lho.

3 comentários:

mc disse...

Bom rasgo de Baz Luhrmann, num post que humildemente assino por baixo! Ainda ontem ouvia uma musica que, pelo momento e circunstancias em que a ouvi, ganhou outra dimensao!
(boa sorte po jogo de hj, aviso ja q o sampaio comeu que nem um porco o dia todo portanto e possivel q nao teja ao seu melhor nivel)

ze maria disse...

acho que carpe diem e essa música são indissociáveis...gde abr costa, amigo do peito!

Cinderela disse...

N posso estar mais de acordo com o q disseste sobre a musica. Eu sou uma fervorosa melomana, oiço musica a tda hora, oiço musica pq sim e pq n, para rir e para chorar, p adormecer e p acordar. E cd musica q oiço e gosto fica associada a um momento, um lugar ou uma pessoa. Sugiro que oiças a banda sonora do filme alice, da autoria de bernardo sassetti q para mim é um pianista eximio!se calhar, e cm tu pp disseste n vai ter o mm efeito q tem em mim pq a sensibilidade das pessoas é diferente mas experimenta!