quinta-feira, 12 de junho de 2008

A legitimação do maquiavelismo camionista

Em Portugal, os camionistas paralisaram o país. Fizeram piquetes, proibiram a passagem de outros camionistas, transformando um direito à greve num dever de greve de classe social através da imposição da vontade corporativista àqueles que ousaram usufruir da sua liberdade de circulação.

O governo, esse, já destituído de maiúscula e de credibilidade, mais preocupado com o voto do que com o respeito pelos princípios de qualquer Estado de Direito que se preze, cede perante os grevistas, negoceia com eles, e faz vista grossa aos bloqueios.

Em Espanha, o Governo tomou posição firme, pôs a polícia na rua e deteve os camionistas responsáveis pelos bloqueios, e já condena quem desrespeitou a lei e praticou crimes. Em Portugal, um par de polícias passeava-se nas praias algarvias de moto 4, num preto intimidante, para verificar se os nadadores-salvadores estavam de boné, t-shirt e apito. Aparentemente, não podem andar de troco nu no exercício das suas funções. Prioridades.

Duas aproximações totalmente diferentes a um problema em tudo semelhante. As consequências?

Em Espanha, calcula-se que os prejuízos têm sido na ordem dos 100 milhões de euros por dia, mas uma coisa é certa, quem desrespeita a lei, é punido por isso, desincentivando comportamentos futuros do género. Em Portugal, sim senhor, já há combustível e bens essenciais, mas com um custo socio-económico seguramente superior aos tais 100 milhões de euros diários espanhóis: os camionistas foram tratados como uma classe com direito a privilégios, passando a usufruir de tratamento especial e injustificado em matérias cuja factura terá de ser paga, directamente pelo Estado, indirectamente pelos cidadãos.

E o pior nem é isso. On top of it all, passa-se a ideia de que o crime compensa, que paralisar o país, atropelar camionistas e bloquear acessos a cidades é uma estratégia válida para alcançar os objectivos propostos. E o futuro? O futuro, infelizmente, é já hoje. O precedente é grave, gravíssimo, até porque não há sinais que os combustíveis parem de subir.

E isto tudo porquê? Porque o preço dos combustíveis está caro. Como é que nenhum camionista se lembrou de subir os preços?Ah, camionista. Já percebi.

3 comentários:

mc disse...

Mais uma prova de que a democracia é longe de ser perfeita. Conseguiu se transformar o direito à greve de alguns no dever de greve de outros. Deu-me vontade de ser ditador por um dia. Nem tiveram a decencia de organizar uma greve "legal" com as 48 horas de aviso, conseguindo assim usar e abusar ainda mais do descontrolado poder que tem nas maos. A mim esta paralizacao fez me realizar ainda mais a dependencia - nossa, da sociedade, nao a minha ou tua indivuamente - da energia em geral e do petroleo em particular. Mais uns dias e o pais parava, literalmente. O cheirinho a possivel racionamento tambem teve algum impacto, acho que a maior parte das vezes nao damos o devido valor ao facto de vivermos num pais que alem de ter outras mil qualidades pode dizer-se estavel socialmente.
Sobretudo pela forma como isto foi feito, sou claramente a favor da forma como os espanhois reagiram (nao sei nada disso, so mesmo o que li no teu post). Ha tambem que reconhecer que quem pensou isto foi inteligente. filho da puta, mas inteligente.
Para quem estiver a pensar um dia fazer uma revolucao esta paralizacao foi uma boa dica. Efeitos colaterais atras de efeitos colaterais
(agora sendo egoista - mas nao mais que os gajos que organizaram isto - ainda bem que o governo negociou com os gajos. Sempre pude ir pa sagres no fim de semana com a certeza que voltava segunda a tempo de trabalhar)

luis disse...

Só gostaria de informar este artista que escreveu esta palhaçada que os camionistas só fizeram a greve porque a situação estava a ficar insustentável e á motoristas sem dinheiro para se sustentar porque pagamos muitos impostos em relação ao que facturamos e lembre-se que nós estamos limitados a fazer 9h por dia de condução,parece muito mas incluindo as cargas e descargas pouco se consegue fazer,divulgo também que hoje na maior parte dos clientes o expedidor é que faz o preço e mesmo assim á sempre um brasileiro a fazer mais barato,obrigado raro é aquele que paga impostos,estão cá meia dúzia de anos e depois vão se embora.Peço a todos que leiam isto para não ficarem contra os camionistas porque nós só tentamos fazer o nosso trabalho que já de si não é nada facil e depois lembrem se que nós temos uma policia que é uma miséria,podem ver um ladrão a assaltar uma casa que nada fazem,mas andar sempre atras dos camionistas já andam,só fazem mal a quem trabalha,como um gnr uma vez me disse nós é que lhes pagamos o ordenado

luis disse...

gostaria de dizer ao mc que puta é a mãe dele